Mostrando postagens com marcador Boeing. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Boeing. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

“Vigilante Noturno” ou "Avião do Pesadelo" : Boeing E-4B que trouxe secretário de Defesa ao Brasil possui segredos nucleares


Por: Redação OD

O avião que trouxe ao Brasil o secretário de Defesa norte-americanoJames Mattis, transporta muitos segredos. Conhecido como “Vigilante Noturno” ou E-4B Nigthwatch, é um Boeing 747-200 convertido para abrigar, em qualquer tempo ou situação, o Centro Nacional de Comando Aerotransportado – uma espécie de sala de guerra aérea. De dentro dele, com seus principais consultores e muitos técnicos, Mattis pode acionar a gigantesca máquina de combate dos EUA; incluídos os 450 mísseis nucleares intercontinentais Minuteman, instalados em silos subterrâneos, e todos os Trident embarcados em submarinos nucleares. Tudo isso no caso, por exemplo, de um ataque que atinja e impeça a atuação do presidente e do vice.

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Queda nas entregas e acidente com o KC-390 derrubam lucro da Embraer. Prejuízo foi de R$ 467 mi no 2.º trimestre


Por: Redação OD

A redução no número de entregas de aeronaves e aumento dos custos com o desenvolvimento do cargueiro militar KC-390 derrubaram os resultados da Embraer no segundo trimestre deste ano. Excluindo impostos, contribuições sociais e itens especiais, o lucro líquido ajustado foi de R$ 2,3 milhões, ante lucro de R$ 409,4 milhões no segundo trimestre do ano passado, informou a fabricante de aeronaves brasileira nesta terça-feira (31). Já o resultado atribuído aos acionistas ficou negativo. A fabricante de aviões ainda registrou prejuízo líquido atribuído aos acionistas de R$ 467,0 milhões no período. No mesmo trimestre do ano passado, houve lucro atribuído aos acionistas de R$ 200,9 milhões.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Proposta da Joint Venture entre a Embraer e a Boeing pode vir a render uma nova "geração" do KC-390


Por: Redação OD

O escopo da joint venture proposto e acertado entre a Embraer e a Boeing, inclui a colaboração da empresa norte-americana em possíveis atualizações e modificações da aeronave de transporte KC-390. A Embraer e a Boeing anunciaram em 5 de julho, o acordo para uma joint venture para o desenvolvimento de novos mercados e aplicações para produtos e serviços de defesa, com ênfase particular na aeronave de transporte. Os detalhes do acordo final ainda permanecem em negociações, mas o mandato potencial parece ser mais amplo do que o inicialmente discutidoO foco continua sendo a colaboração da Boeing nas vendas e no marketing do KC-390, mas também pode incluir a reengenharia do avião de carga conforme surgirem novos requisitos de clientes em potencial, diz Greg Smith, diretor financeiro da Boeing. 

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Enquanto Joint venture com a Boeing não se concretiza, Embraer busca soluções para baixar custos de seus E-Jet E2


Por: Redação OD

Embraer, vem procurando soluções rápidas na tentativa de se conseguir baixar os custos de manutenção e a queima de combustível de seu jato E2, uma vez que a concorrência se mostrou mais dura frente ao rival A220 (antigo CSeries e agora chancelado pela Airbus), disseram executivos. “Espero que possamos apresentar uma boa exibição na terça-feira”, disse o presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial, John Slattery, a bordo do jato E190-E2 a jornalista, sobre possíveis anúncios de pedidos durante a feira de Farnborough. No início deste mês, a Boeing fechou um acordo de controle acionário no braço de aeronaves comerciais da Embraer sob uma nova joint venture de U$S 4,75 bilhões, após a Airbus concluir um acordo semelhante, para assumir o controle do programa Cseries da rival Bombardier. Foi um duro golpe para a Embraer, a notícia da semana passada dando conta que a empresa norte-americana JetBlue optou pelo novo modelo A220-300, anteriormente conhecido como Cseries.

terça-feira, 10 de julho de 2018

Fornecedores da Embraer temem perder espaço após acordo com Boeing



Por: Redação OD

A base industrial aeronáutica brasileira está preocupada com os impactos que a nova aliança entre a Embraer e a Boeing terá no futuro dessas empresas caso haja uma política do governo que garanta a preservação dos fornecedores nacionais. "Se não tiver proteção, a cadeia [produtiva] vai morrer num curto espaço de tempo, por falta de acesso ao mercado global e de competitividade", disse o direto titular do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) em São José dos Campos, Cesar Augusto Andrade e Silva. A cadeia produtiva da Embraer no Brasil é formada hoje por cerca de 70 empresas, que empregam em torno de cinco mil funcionários e estão dedicadas à venda de serviços de industrialização de baixo valor agregado, como fornecimento de peças usinadas e serviços.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Acordo da Embraer com a Boeing só teve apoio das Forças Armadas após 'Blindagem' da área de defesa


Por: Redação OD

O acordo entre Embraer Boeing só obteve o apoio das Forças Armadas, após que as tratativas entre as duas empresas caminharam no sentido de "blindar" a atuação da empresa brasileira na área de defesa, que ficou de fora do negócio. A Embraer desenvolve projetos para as três Forças, sobretudo para a Força Aérea, com emprego de tecnologia nacional. Entre eles, destacam-se as aeronaves A-29 Super Tucano, T-27 (Tucano), KC-390 e o Gripen E, que está sendo desenvolvido em parceria com a sueca Saab. Além de equipar a Força Aérea, o Tucano, por exemplo, tem reconhecimento internacional, sendo exportado para vários países. O KC-390 também tem potencial de vendas externas.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Para analistas, área de defesa e da aviação executiva da Embraer serão as mais beneficiadas


Por: Redação OD

A presença global de vendas, marketing e suporte da Boeing e seus métodos agressivos de gerenciamento da cadeia de suprimentos também poderão ser muito úteis para os produtos de defesa e jatos executivos da Embraer, avaliou Richard Aboulafia. O especialista é vice-presidente de análise do Teal Group, uma respeitada consultoria aeroespacial e de defesa. "Uma joint venture poderia criar novas variantes especiais de missão do KC-390 ou aviões ISR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento) usando as plataformas EMB-135 e EMB-145", afirmou Aboulafia em um dos seus relatórios sobre o acordo de parceria entre a Boeing e a Embraer. 

Boeing e Embraer devem estabelecer parceria estratégica para acelerar crescimento aeroespacial global


Por: Redação OD

Agora é oficial, em um comunicado em seu site a Boeing e a Embraer anunciaram a assinatura de um Memorando de Entendimentos para estabelecerem uma parceria estratégica que possa impulsionar o crescimento das empresas no mercado aeroespacial global. O acordo não-vinculante propõe a formação de uma joint venture que contempla os negócios e serviços de aviação comercial da Embraer, estrategicamente alinhada com as operações de desenvolvimento comercial, produção, marketing e serviços de suporte da Boeing. Nos termos do acordo, a Boeing deterá 80% da propriedade da joint venture e a Embraer, os 20% restantes.

terça-feira, 3 de julho de 2018

Acordo de associação entre Embraer e Boeing está com 'negociações avançadas'. Embraer confirmou informação mas negou detalhamento


Por: Redação OD

A Embraer e a norte-americana Boeing estão em "negociações avançadas" para sua associação, disse a fabricante aeronáutica brasileira à AFP, embora tenha se negado a dar detalhes. "A Embraer não irá comentar detalhes, uma vez que as duas companhias estão em negociações avançadas", disse a empresa brasileira. Terceira maior fabricante aeronáutica do mundo, com volume de negócios de US$ 6 bilhões e 16 mil funcionários, a Embraer, privatizada em 1994, é uma das joias da indústria brasileira.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Grupo técnico reúnem-se esta semana para decidir sobre parceria, mas a negociação entre Boeing e Embraer avança


Por: Redação OD

As negociações entre as empresas Embraer e Boeing avançaram nos últimos dias e uma nova reunião para tratar da criação de uma joint venture global na área de aviação deve ocorrer esta semana, disseram três fontes ligadas ao governo. As conversas entre as duas empresas e o governo federal, que detém direito de veto sobre decisões estratégicas da fabricante brasileira de aeronaves, visam enfrentar uma parceria em aviação comercial que deve ser concluída em julho entre a canadense Bombardier e a européia Airbus. Um grupo técnico fora criado dentro do governo federal para estruturar a parceria entre Boeing e Embraer e conta com a participação de integrantes dos ministérios da Fazenda, Defesa e outros órgãos.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Preocupação com aliança entre Embraer e Boeing foi superada, afirma ministro da Defesa


Por: Redação OD

O governo brasileiro tem grandes esperanças de que se chegue a um acordo entre as empresas Boeing e Embraer, já que as preocupações sobre os projetos militares estratégicos da empresa brasileira foram superadas, disse o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, em entrevista recente. O governo está acompanhando as negociações entre as duas empresas, nas quais ambas buscam um acordo "ganha-ganha", disse o ministro. Embora ele tenha se recusado a especular sobre quando elas poderiam chegar a um acordo, ele disse que não houve retrocessos e que ele espera que as conversas terminem até o final do ano, quando o mandato do atual governo terminar.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Ministro da Defesa, diz que acordo entre Embraer e Boeing deve ser fechado ainda este ano. Acordo prevê aquisição de fábricas em Portugal

Foto: Roosevelt Cassio|Reuters
Por: Redação OD

O Ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, declarou estar otimista com o andamento das negociações para a associação da Embraer com a  Boeing. Onde espera-se que as empresas fechem tal acordo ainda esse ano, que não houve nenhum recuo nas tratativas que começaram no ano passado, mas as negociações são complexas dada a exigência do Brasil de preservar o braço estratégico da fabricante nacional, “As empresas buscam um caminho de ganha ganha entre elas. Esse caminho está sendo encontrado”, disse ele a jornalistas. O que se busca é preservar o lado de Defesa da Embraer, completou o ministro Silva e Luna, frisando que as reuniões de trabalho do grupo montado dentro do governo para cuidar da parceria entre as duas, das maiores fabricantes de aeronaves, estão andando e não houve nenhum recuo. O acordo está em uma fase bem avançada e é coisa para se findar esse ano ainda (…) Estou otimista demais.” destacou.

sábado, 28 de abril de 2018

Índia busca experiência técnica para incrementar sua indústria de equipamentos militares e fortalecer suas forças armadas


Por: Redação OD
Ao longo da década mais recente, a Índia tem sido o maior importador mundial de equipamentos militares (aeronaves, navios e afins), em sua grande maioria de proveniência Russo, e com isso o governo indiano pretende acabar com essa dependência. O primeiro-ministro, Narendra Modi, vem tentando construir uma indústria de equipamentos militares capaz de fornecer uma maior parte das necessidades da Índia no setor e até exportar armamentos para outras nações. O governo vem oferecendo incentivos a empresas estrangeiras de equipamentos militares em busca de contratos de parceria com empresas indianas, compartilhando com elas sua tecnologia.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Reunião de negociação entre Boeing e Embraer para a criação de nova empresa avança, mas novo entrave surge


Por: Redação OD

Durante reunião realizada nesta quinta (19) em Brasília, avançou-se na tratativa de uma solução dos entraves à parceria entre a empresa norte-americana Boeing e a brasileira Embraer, sendo que fora identificado novos problemas, onde os quais podem vir a emperrar sua concretizaçãoO grupo de trabalho do governo ficou satisfeito com o encaminhamento da última versão da proposta da gigante americana e da fabricante brasileira, mas a questão da composição do conselho da nova empresa, que será criada por elas está sendo uma dor de cabeça.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Associação entre a Boeing e a Embraer prevê recursos para área de defesa, como forma de sustentabilidade ao segmento


Por: Redação OD
A nova proposta de associação entre  as empresas Boeing e Embraer prevê que o braço da companhia brasileira na área de defesa fique fora do negócio, mas tenha participação nas receitas da parceria que as duas empresas pretendem firmar. Segundo fontes a par das negociações, que avançaram esta semana com a entrega de um memorando ao grupo de trabalho do governo que examina o negócio, a previsão de um fluxo de receitas para garantir a sustentabilidade dos projetos vinculados às Forças Armadas é fundamental para que o Planalto dê o aval à operação.

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Presidente da Embraer se diz otimista sobre o acordo com a Boeing


Por: Redação OD

Durante conversa com jornalistas no Chile, onde está ocorrendo a FIDAE 2018, o presidente da Embraer, Paulo Cesar de Souza e Silva, afirmou ontem que está otimista com um possível acordo com a Boeing. "Existe um desafio de atender aos requisitos de todas as partes, mas estou otimista", comentou a jornalistas após evento da empresa. O executivo reiterou que não há um prazo certo para que as empresas fechem a estrutura do eventual negócio. Embora reconheça que o mercado demanda certa agilidade nas negociações, Silva salientou que a operação é complexa e deverá atender às expectativas de todas as partes.  Ainda de acordo o presidente da Embraer, a mudança do ministro da Defesa - de Raul Jungmann pelo general Joaquim Silva e Luna - não atrapalhou o andamento dos trabalhos com o grupo técnico, que seguem "muito bem".

quarta-feira, 28 de março de 2018

Negociação Boeing/Embraer está concentrada na área da defesa. Fontes dizem que as discussões têm sido "construtivas"


Por: Redação OD
As conversas sobre uma  possível fusão entre Boeing e Embraer continuam concentradas na área de defesa da companhia brasileira, tanto do ponto de vista da soberania do governo do Brasil quanto da sustentabilidade do negócio. A percepção de fontes próximas ao negócio é de que as discussões têm sido "construtivas" e de que houve evoluções no decorrer das conversas. Não há, contudo, clareza sobre quando um acordo poderia ser alcançado. Em declarações recentes, o presidente executivo da Boeing, Dennis Muilenburg, disse que a fabricante de aeronaves norte-americana vê um "excelente encaixe estratégico" em uma possível aquisição da Embraer, mas frisou que a operação não é essencial para o grupo norte-americano.

quinta-feira, 1 de março de 2018

Troca na Defesa não afeta negociação com a Boeing, afirma Paulo Cesar de Souza e Silva, Presidente da Embraer


Por: Redação OD

O presidente da Embraer, Paulo Cesar de Souza e Silva, disse que a troca na pasta do ministério da Defesa não afeta as negociações que a empresa tem com o governo para combinar operações com a americana Boeing, mas admitiu que precisa ser apresentado ao novo ministro e retomar as conversas para provar à Brasília que a parceria com a fabricante dos Estados Unidos é a melhor opção para a companhia aeroespacial brasileira. "A troca de comando na Defesa não afeta a interlocução com governo", disse Souza e Silva a jornalistas, após evento em São José dos Campos, quando a Embraer recebeu as certificações das agências de aviação do Brasil (Anac), Estados Unidos (FAA) e Europa (EASA) para o novo E190-E2, primeiro jato da nova família de aeronaves da companhia que começa a ser entregue aos clientes neste ano.

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Donald Trump confirma acordo com a Boeing para a aquisição do novo Air Force One


Por: Redação OD

Donald Trump e a Boeing chegaram a um acordo sobre a fabricação e aquisição pelo governo Norte-americano de um novo avião presidencial Air Force One. Fontes do governo e da Boeing dizem que a proposta vai economizar dinheiro aos contribuintes, embora o preço de US$ 4 bilhões seja quase exatamente o que foi previsto nos últimos anos. De acordo com a Fox News, "o acordo fechado foi de US$ 3,9 bilhões" e "as autoridades dizem que representa US$ 1,4 bilhão em economias de estimativas de mais de US$ 5 bilhões para dois aviões e custos relacionados".

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Futura nova empresa constituída entre Boeing e Embraer, terá 51% do controle nas mãos da empresa norte-americana


Por: Redação OD

A Boeing terá uma participação de 51% na nova empresa, a qual está atualmente em negociação com a brasileira Embraer. A gigante americana aceitou a exigência do governo brasileiro de que a empresa norte-americana não tenha mais do que uma participação controladora. A Boeing não respondeu imediatamente a pedidos de comentários, e a Embraer afirmou que não vai comentar a informação. A aprovação do governo brasileiro para uma parceria entre as duas que criaria uma nova empresa focada na aviação comercial, excluindo a unidade de defesa da Embraer, foi algo colocado em pauta durante reunião entre a empresa americana e o governo brasileiro, reportou a Reuters há três semanas.