Mostrando postagens com marcador Tensão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Tensão. Mostrar todas as postagens

domingo, 27 de maio de 2018

Uma análise entre Israel e Irã: Em caso de um conflito armado quem seria o mais forte?


Por: Redação OD

O Irã aumentou recentemente a sua presença na Síria e com isso as atividades das chamadas formações "voluntárias" xiitas de muitos países e do movimento Hezbollah, hostis à Israel, tiveram uma crescente  também. Recentemente, o Irã bombardeou objetivos israelenses nas Colinas de Golã. A resposta de Israel fez-se muito rápida: 28 caças da Força Aérea Israelense atacaram 50 alvos iranianos na Síria (sistemas antiaéreos, bases, quartéis-generais e subunidades das forças especiais do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica), aumentando assim o agravamento nas ultimas semanas, da tensão entre as relações iraniano-israelenses. O Governo de Israel não vai admitir que haja uma presença militar do Irã e os seus aliados na Síria.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Irã ataca alvos militares Israelenses e em resposta Israel usa caças e mísseis contra posições do Irã na Síria

Mísseis atravessam o céu de Damasco, na Síria - 10/05/2018 (Omar Sanadiki/Reuters)
Por: Redação OD

Forças Iranianas, dispararam cerca de 20 mísseis contra alvos militares de Israel  localizados nas Colinas de Golã nesta quarta-feira (9), segundo o Exército israelense. Alguns dos projéteis foram interceptados pelos sistemas de defesa israelenses, de acordo com as primeiras informações. O ataque foi lançado pelas Força Quds, uma unidade especial do Exército de Teerã, de dentro do território sírio, segundo os israelenses. Não há relatos de feridos ou mortos. O coronel israelense Jonathan Conricus afirmou em uma ligação telefônica com diversos jornalistas que as bases militares sofreram danos “limitados”, segundo o jornal Financial Times. Ainda de acordo com o militar, as forças israelenses revidaram o ataque.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Reunião no Azerbaidjão entre generais da Otan e Rússia, busca aliviar tensões após meses de negociações

Gerasimov e Scaparotti: generais de Rússia e Otan se reuniram em raro encontro - Reprodução
Por: Redação OD

Na tentativa de aliviar as tensões geradas recentemente entre a Russia e o Ocidente desde o fim da Guerra Fria, o chefe do Estado-Maior russo e o comandante supremo da Otan fizeram uma rara reunião nesta quinta-feira, em Baku, capital do Azerbaidjão. O general do Exército dos Estados Unidos, Curtis Scaparrotti, que detém o comando das forças da Otan, e o seu homólogo russo, Valery Gerasimov se encontraram menos de uma semana após que, os Estados Unidos, Reino Unido e França realizaram bombardeios à Síria em retaliação a um suposto ataque com armas químicas, feito pelas forças do presidente Bashar al-Assad, aliado da Russia.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Aeronaves P-8 A Poseidon e EP-3E ARIES II realizam operações de vigilância perto das bases russas na Síria


Por: Redação OD
Segundo os dados de monitorização da aviação militar, publicados pelo site Mil Radar, sete aeronaves militares da Marinha dos EUA realizaram operações de vigilância no lado oriental do Mar Mediterrâneo junto a costa da Síria, onde localizam-se a base aérea russa de Hmeymim e a base de abastecimento e manutenção da Marinha russa em Tartus. Seis aeronaves foram identificadas como sendo os de patrulha antissubmarino P-8A Poseidon, tendo estas decolado da base aérea de Sigonella na Sicília e uma aeronave de reconhecimento eletrônico EP-3E ARIES II, que decolou da ilha grega de Creta. 

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Russia se prepara para um possível ataque dos EUA à Síria e posiciona submarinos, radares e aviões


Por: Redação OD
O Ministério da Defesa Russo elaborou uma lista de medidas a que militares russos podem recorrer em caso de uma escalada do conflito na Síria. O chefe do Estado-Maior Russo, Valery Gerasimov, disse em março que, caso haja uma ameaça real a militares russos na Síria, que o país irá abrirá fogo tanto contra mísseis, como contra quem os enviar, ou seja, contra as forças navais dos EUA. Esta medida foi anunciada publicamente e que foi enviada ao comando militar dos Estados Unidos, segundo comunicou uma fonte militar ao periódico Kommersant

terça-feira, 10 de abril de 2018

Grupo de ataque liderado pelo porta-aviões USS Harry S. Truman irá se dirigir ao Mar Mediterrâneo


Por: Redação OD
O jornal, Stars and Stripes noticiou nesta terça-feira (10) que o grupo de ataque naval dos EUA, capitaneado pelo porta-aviões USS Harry S. Truman, está se dirigindo para o mar Mediterrâneo, para atuar na costa da Europa e do Oriente Médio. "O grupo de ataque Harry Truman partirá nesta quarta-feira da base militar naval de Norfolk, Virgínia, para Oriente Médio e Europa", informa a publicação. Segundo o jornal, o grupo será composto também pelo cruzador de mísseis guiados USS Normandy, pelos destróieres USS Arleigh Burke, USS Bulkeley, USS Forrest Sherman e USS Farragut. 

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Tensão após bombardeio de Israel a alvos iranianos na Síria, onde caça israelense que participava de operação foi abatido


Por: Redação OD

O Exército Israelense realizou neste sábado (10) um ataque em grande escala contra alvos iranianos e sírios na regiao de Damasco, logo após a queda de um caça israelense, que encontrava-se atacando alvos quando foi abatido por um sistema de defesa antiaéreo Síria, sendo este um fato pouco habitual, contra Israel. "Doze alvos, entre eles baterias de defesa aérea e alvos iranianos que fazem parte do estabelecimento militar do Irã na Síria, foram atacados", informou o Exército, em um comunicado. Durante o ataque, a Síria disparou entre 16 e 20 mísseis, pela segunda vez neste sábado contra a aviação israelense.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Militar norte-coreano consegue desertar em direção à Coreia do Sul após ser baleado por soldados norte-coreanos


Por: Redação OD

Um soldado da Coreia do Norte conseguiu desertar em direção à Coreia do Sul, nesta segunda-feira (13) após o mesmo ter sido ferido por disparos realizados por militares do exército norte-coreano enquanto ele realizava a travessia da Zona Desmilitarizada. O militar fora levado a um hospital sul-coreano, onde foi prestado os primeiro socorros devido ao ferimento em seu ombro, segundo nota emitida pelo porta-voz do Ministério de Defesa da Coreia do Sul. O incidente ocorrido às 16h no horário local (4h em Brasília), na Área de Segurança Conjunta de Panmunjom, o único lugar da Zona Desmilitarizada no qual os soldados das duas Coreias se veem frente a frente.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Drone iraniano fica a 30 metros de um caça F/A-18E Super Hornet quando ele se preparava para aterrissar


Por: Redação OD

Um drone iraniano chegou a menos de 100 pés (30,48 metros) de um caça da Marinha dos EUA quando este se preparava para pousar em um porta-aviões no Golfo Pérsico, conforme relato de uma fonte da Marinha dos EUA nesta terça-feira (8), a agência de Notícias Reuters. A fonte, a qual pediu anonimato, relatou que um caça F/A-18 E Super Hornet teve que manobrar para evitar a colisão com um drone iraniano do tipo QOM-1, que ignorou as repetidas chamadas pelo rádio, sendo que esta “interferência” foi descrita como "insegura e pouco profissional". A Marinha dos EUA, ainda não se pronunciou de forma oficial sobre o quase incidente.

FONTE: REUTERS


quinta-feira, 13 de julho de 2017

Representante Russo propõe à OTAN uma avaliação conjunta de seus potenciais militares


Por: Redação OD

O representante permanente da Russia na OTAN, Aleksandr Grushko, declarou que Moscou propôs à Aliança do Norte, de realizarem uma avaliação conjunta do potencial militar de ambas as partes durante o encontro de especialistas militares. Esta proposta foi feita nesta quinta-feira (13)  durante a reunião de embaixadores do Conselho Russia-Aliança na sede da OTAN.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

China envia navios de guerra ao Mar Meridional após incursão dos EUA


Por: Redação OD

A China confirmou o envio de navios de guerra e aviões de combate ao Mar Meridional após a incursão de um destroier dos Estados Unidos perto das ilhas Xisha no domingo (2). "A China posicionou navios e aviões para deixar de sobreaviso o destroier americano", declarou o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores chinês, Lu Kang, em comunicado. As ilhas Xisha ficam no Mar da China Meridional e são consideradas pelos chineses sob sua soberania. O território também é reivindicado por Taiwan e pelo Vietnã.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Caça F-16 da OTAN se aproxima de avião do ministro russo da Defesa

Por: Redação OD
Um caça F-16 da Otan se aproximou nesta quarta-feira do avião do ministro russo da Defesa Serguei Shoigu, quando sobrevoava o mar Báltico, afirmaram jornalistas russos presentes a bordo. De acordo com jornalistas das principais agências de notícias russas, aviões da Aliança Atlântica tentaram escoltar o avião do ministro, e um deles tentou se aproximar, mas o Su-27 que serve de escolta obrigou-o a se afastar. "O Su-27 mostrou (o caça) da Otan que estava armado mudando de rumo. Depois disso, o F-16 da Otan se afastou", explicou um jornalista da Interfax, que viajava a bordo da aeronave ministerial.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

EUA começam a posicionar sistemas de defesa antimíssil THAAD na Coreia do Sul

Imagem de arquivo do lançamento do sistema Defesa Aérea Terminal de Alta Altitude (THAAD, na sigla em inglês) (Foto: Reuters/Defesa dos EUA)
Por: Redação OD

Os militares dos Estados Unidos começaram a transferir partes do sistema antimíssil THAAD para o sul da Coreia do Sul, que informou que a instalação estará completa para sua operação total até o final deste ano, segundo a agência Reuters. "A Coreia do Sul e os Estados Unidos têm trabalhado para garantir uma capacidade operacional inicial do sistema THAAD em resposta ao avanço da ameaça nuclear e de mísseis da Coreia do Norte", disse o ministério da Defesa sul-coreano em comunicado na quarta-feira (horário local).

domingo, 23 de abril de 2017

Mesmo ainda sobre forte tensão, Japão e EUA iniciam manobras no Pacífico antes de se dirigirem para a Coreia


Por: Redação OD

Japão e Estados Unidos iniciaram neste domingo (23) manobras navais conjuntas no Oceano Pacífico antes de se dirigir, nos próximos dias, para águas próximas à península da Coreia, em um momento de alta tensão na região, anunciou o Ministério de Defesa japonês. Após zarpar na sexta-feira (21) de Sasebo (sudoeste de Japão), os destróires japoneses "Ashigara" e "Samidare" se uniram à frota do porta-aviões de propulsão nuclear americano "USS Carl Vinson" perto do arquipélago das Filipinas.

General Eduardo Villas Bôas, revela em entrevista que o Exército foi sondado para decretar estado de defesa nos dias que antecederam o impeachment de Dilma Rousseff

Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, comandante do Exército (Cristiano Mariz/VEJA)
Por: Redação OD
O comandante do Exército, General de Exército Eduardo Villas Bôas, revela em entrevista que a instituição foi sondada e rechaçou a hipótese de apoiar a decretação de estado de defesa nos dias tensos que antecederam o impeachment de Dilma. Villas Bôas não diz quais foram os políticos que fizeram a consulta, mas reconhece que as Forças Armadas ficaram “alarmadas” com a perspectiva de serem empregadas para “conter as manifestações que ocorriam contra o governo”. 

sábado, 8 de abril de 2017

Quais são as possíveis consequências do ataque norte americano à Síria


Por: Redação OD
Os Estados Unidos lançaram 59 mísseis em uma base militar síria próximo à cidade de Homs na noite da última quinta-feira. Segundo o presidente, com o ataque químico, Assad “sufocou a vida de muitos homens, mulheres e crianças indefesas”, O afirmou ainda que o ataque foi feito contra a mesma base aérea de onde o governo de Bashar Al Assad lançou o ataque químico. Após o ataque, a Rússia suspendeu o memorando firmado em Washington sobre a segurança dos voos durante a operações na Síria.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Chega ao fim o exercício "Interação Naval 2016", entre China e a Russia


Por: Redação OD

Pensem em um cenário, navios de guerra russos e chineses destruíram alvos que simulavam ser, um navio e um submarino de alguma Marinha inimiga, com este contexto deu-se uma, das várias simulações ocorridas durante os exercícios militares Interação Naval 2016, conforme relato do porta-voz, capitão-de-mar-e-guerra Vladimir Matveev, nesta última segunda-feira (19). Segundo ele, "no âmbito das manobras navais, se realizaram exercícios de fogo com uso de cargas antissubmarino e artilharia contra alvos navais e aéreos."

domingo, 11 de setembro de 2016

Mesmo com a tensão na região, Marinhas da Russia e da China irão realizar exercícios conjuntos no Mar da China


Por: Redação OD
As Marinhas da Russia e da China irão realizar exercícios navais conjuntos, no Mar do Sul da China ao largo da costa da província de Guangdon da China, conforme informe da Agência de Notícias Reuters, citando a Marinha chinesa como fonte. Os exercícios começam nesta segunda-feira (12) e terão a duração de oito dias.

sábado, 27 de agosto de 2016

Coreia do Norte ameaça abrir fogo contra tropas dos EUA e da Coreia do Sul na região de fronteira de Panmunjom


Por: Redação OD
A Coréia do Norte, ameaçou neste sábado (27/8) abrir fogo contra um equipamento de iluminação utilizado pelas tropas norte-americanas e sul-coreanas em um vilarejo dentro da zona desmilitarizada que divide as duas Coreias. O Exército do Povo Coreano (KPA) acusou que os soldados dos EUA e da Coreia do Sul estão fazendo “provocações deliberadas” por direcionar as suas luzes a postos de guarda norte-coreanos em Panmunjom desde sexta-feira à noite.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Tensão no Mar do Sul da China : Pequim adverte o Japão e os EUA para não ultrapassarem a "linha vermelha"


Por: Redação OD
O embaixador chinês no Japão alerta que Pequim não renunciará à sua soberania sobre o mar do Sul da China, mesmo que isso possa levar a uma guerra entre os dois países. Se navios japoneses participarem em manobras navais com a Marinha norte-americana na região da disputa territorial, isso equivalerá a "ultrapassar a linha vermelha", declarou o embaixador chinês, Cheng Yonghua, em Tóquio. Cheng ameaçou com uma ação militar se o Japão não cumprir o ultimato.