Mostrando postagens com marcador Cortes Orçamentais. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cortes Orçamentais. Mostrar todas as postagens

sábado, 18 de agosto de 2018

Departamento de Estado redireciona US$ 230 Mil da Síria e Senadores demonstram descontentamento


Por: Redação OD
Frente a recente decisão do Departamento de Estado dos EUA em redirecionar US$ 230 milhões da estabilização na Síria, membros do Parlamento Americano se mostraram muito irritados com a medida, onde alguns observam que tal atitude permitirá que a Russia possa vir a fortalecer mais ainda o apoio dado ao presidente Bashar Assad, disse um membro do Comitê de Relações Exteriores do Senado, Bob Menendez, em comunicado à imprensa nesta sexta-feira. No início do dia, o Departamento de Estado anunciou que estava redirecionando o montante de US$ 230 milhões, o qual destina-se ao financiamento da estabilização da Síria, para outras prioridades de política externa ainda a serem determinadas. 

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Ministro da Defesa teme interrupção de projetos prioritários das Forças Armadas, por conta dos cortes orçamentários


Por: Redação OD

O ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, admitiu, hoje (4), a possibilidade de as Forças Armadas terem que interromper projetos prioritários devido à falta de recursos para a Marinha, o Exército e a Força Aérea. Mantida a perspectiva de redução da ordem de 23% do nosso orçamento, os projetos estratégicos correm, sim, o risco de ser descontinuados”, disse o ministro, ao participar de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, em Brasília. Entre os projetos em desenvolvimento considerados prioritários, estão a construção dos submarinos convencionais e de propulsão nuclear pela Marinha, a aquisição, pelo Exército, de viaturas blindadas e dotadas de sistemas de armas e proteção; e a compra dos caças de combate Gripen pela Força Aérea.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Passando por cortes drásticos, Royal Navy perde navios importantes para manter a defesa de sua costa


Por: Redação OD

Pela primeira vez na história contemporânea,  a frota de superfície da Royal Navy está sem embarcações capazes de proteger o país, revelou em uma edição recente o periódico The Mirror. Segundo o jornal, todos os seus 6 destróiersestão ancorados no porto de Portsmouth, ao mesmo tempo que 12 das suas 13 fragatas da classe Type-23 estão ancoradas na base naval de Devonport, entretanto só um navio deste tipo está apto para acompanhar a frota que protege as águas da ZEE do Reino Unido. O ex-comandante da Frota britânica, Alan West, afirmou que a defesa de seu país e a Marinha Real estejam "à beira" de um colapso devido a sua "drástica redução de tamanho". 

domingo, 20 de agosto de 2017

Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) da Marinha do Brasil sofre com crise fiscal

PROSUB é o programa mais importante da Marinha e prevê fabricação de quatro submarinos convencionais com suporte francês; o quinto deve ser movido à propulsão nuclear e desenvolvido com tecnologia brasileira - Custódio Coimbra / Agência O Globo

Por: Redação OD

O Programa de Desenvolvimento de Submarino (PROSUB), projeto mais estratégico da Marinha brasileira, corre o risco de não atingir a meta de lançar ao mar, no terceiro trimestre de 2018, seu primeiro submarino. O risco não vem do mar ou de um inimigo, e sim do contingenciamento orçamentário adotado pela equipe econômica. Para tentar cumprir o objetivo diante da escassez de recursos, a Marinha já fez um downgrade (ou seja ao invés de atualizar o projeto, eles estão simplificando mais) do projeto inicial e, nessa reta final, reduziu o ritmo de obras no estaleiro de manutenção, na base naval e no complexo radiológico. Agora, torce por uma nova liberação de recursos.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Exército Brasileiro pode ter sua capacidade de ação afetada, por conta dos cortes orçamentários feitos pelo Governo Federal


Por: Anderson Gabino

EXCLUSIVO A situação econômica brasileira vem passando por uma enorme turbulência, exigindo que o governo federal corte orçamentos de vários setores. Com isso, as Forças Armadas tem sido fortemente golpeadas, chegando ao ponto de algumas atividades serem ameaçadas de descontinuidade, como exemplo temos a probabilidade de liberação antecipada dos recrutas incorporados em 2017, da mesma forma que ocorreu em 2002. Uma curva orçamentária decrescente e instável inviabiliza a execução do Portfólio Estratégico do Exército e prejudica a Indústria Nacional de Defesa, o que pode gerar desemprego e aprofundar a crise no país.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Cortes no orçamento deixam quase 60% da frota da FAB no chão


Por: Redação OD

Os cortes no orçamento impostos pela equipe econômica obrigaram a Força Aérea Brasileira (FAB) a deixar mais da metade da sua frota de aviões no chão. Hoje, dos 600 aviões que a Aeronáutica dispõe, apenas 250 estão prontos para emprego, ou seja, 41%. Outro problema grave é a disponibilidade de recursos para a Força Aérea voar. Em 2016, os pilotos voarão menos do que 100 mil horas, quase 35% a menos do que o mínimo necessário para manter a operacionalidade da FAB, que seria 150 mil horas/ano.