sexta-feira, 20 de outubro de 2017

MINUSCA 2018 - República Centro-Africana em estado de caos total

Rebeldes de milicias Anti -Balaka. Imagem via Radio France24
Por: Redação OD


Já é de domínio público a infirmação que a nova missão de paz da ONU, a "MINUSCA",  na qual Tropas brasileiras tomarão parte, será uma das mais difíceis já enfrentadas.A República Centro-Africana enfrenta um estado de guerra civil entre diversas facções rivais com as mais diferentes motivações políticas e religiosas, principalmente de fundamentalistas islâmicos que são diretamente apoiados pelo ISIS/Daesch  e outros grupos terroristas islâmicos que tencionam a criação de novos "Estados Islâmicos" na África.

A medida que o tempo passa, chegam todos os dias informações sobre a deterioração das condições de segurança em todos os sentidos, e, de acordo com os porta-vozes de três ONG´s que atuam na região, pelo menos 80% do território da RCA - República Centro Africana, está sob controle de grupos rebeldes ligados diretamente à outros grupos terroristas islâmicos. As ONG´s que mais atuam na RCA são; Médecins du Monde, Action contre la Fain e Cruz Vermelha Internacional.


Outra denúncia alarmante dessas ONG´s são os relatos de que a RCA se tornou o país com o maior número de ataques de grupos rebeldes contra ONG´s humanitárias em todas as regiões de conflitos do mundo, tornando impossível o trabalho de ajuda humanitária para a população civil que também é alvo desses ataques por parte dos grupos rebeldes e terroristas islâmicos. Já são contabilizados mais de 280 incidentes desde o começo do ano e só nos últimos 30 dias foram 48 incidentes de ataques diretos contra instalações de ONG´s em todo o território da RCA.

A RCA é atualmente considerado o país mais pobre do mundo e com o pior índice de desenvolvimento humano de todo o planeta, e, se isso não bastasse, o recordista de ataques contra ONG´s de ajuda humanitária. Apesar de receber praticamente toda a forma de ajuda humanitária, a parte mais complicada é que a população flutua muito em qual lado permanecer no conflito, hora ficando do lado dos grupos rebeldes e atacando as ONG´s e hora exigindo ajuda humanitária do que resta do Governo em frangalhos. Esse será o cenário que nossas tropas vão enfrentar à partir de 2018 na participação da MINUSCA.

Fonte: Radio France 24

Postar um comentário