Mostrando postagens com marcador India. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador India. Mostrar todas as postagens

domingo, 14 de janeiro de 2018

Índia irá realizar em breve novos testes com o seu mais novo e maior míssil balístico, o Agni-V


Por: J.G Araújo

Atualmente muito se fala dos projetos de mísseis da Coréia do norte, mas vem passando despercebido para todo mundo um projeto que vem avançando a passos largos de Mísseis táticos em um pais que já se tem artefatos nucleares e com um projeto bem mais audaz que o do pais asiático. A Índia, vem a passos largos com preparações de plena capacidade nuclear tática, estas preparações começaram no centro de testes de defesa de Abdul Kalam Island, ao largo da costa de Odisha, e estes dias devem culminar no primeiro teste de do míssil balístico superfície/superficie de maior capacidade e de maior alcance do país, o Agni-V. O lançamento deverá a vir realizado pelo Comando das Forças Estratégicas (SFC) do Exército indiano.

O míssil construído e desenvolvido localmente, realizará um novo teste a qualquer momento, as fontes dão conta que a janela para o teste deverá ocorrer até o dia 19 de Janeiro, sendo que a área de lançamento já está configurada e os equipamentos de rastreamento foram movidos para os locais estratégicos. "O sistema de mísseis é comprovado com já quatro ensaios que claro, nem de longe foram divulgados como os da Coréia do Norte – todos os testes foram conduzidos com sucesso e em segredo. Os dados gerados durante todas as missões foram bastante satisfatórios. O novo lançamento será realizado com a associação da SFC - Comando das Forças Estratégicas (Strategic Forces Comand) para verificar sua prontidão operacional ", afirmou um funcionário.


Desenvolvido pela Organização de Pesquisa e Desenvolvimento da Defesa (DRDO), o míssil balístico com alcance intercontinental é o melhor da sua classe com giroscópios avançados de laser, motores de foguete compostos e sistemas de micro-navegação altamente precisos e sistemas de navegação inercial. O Agni-V, tem três estágios, 17 metros de altura e dois metros de largura, é capaz de transportar uma ogiva nuclear de cerca de 1,5 toneladas. Com cerca de 50 toneladas, incorpora acelerômetro para navegação e orientação e seu nível de precisão é muito maior do que as três variantes anteriores - Agni-II, Agni-III e Agni-IV.

"O que torna o míssil mais efetivo e furtivo é que ele pode ser equipado com vários Veículos de Reentrada Independentes (MIRV) capazes de entregar múltiplas ogivas em diferentes destinos em longas distâncias. A tecnologia está em desenvolvimento ", disse um cientista de defesa envolvido com o projeto Agni-V. Uma vez pronto o míssil deverá ter um alcance de 5000 km e deve atravessar o Oceano Índico, todos os problemas logísticos terão de ser corrigidos antes do tempo de lançamento. Vários países, incluindo a Indonésia e a Austrália, serão alertados e o tráfego aéreo e marítimo internacional dentro da zona de teste também controlado em conformidade com a exigência de segurança. O último teste do míssil foi realizado a partir do mesmo programa de teste foi em 26 de dezembro de 2016.


*Com Informações do site Índia News

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Novo conflito à vista: China movimenta seu exército na região de Doklam, região de disputa com a Índia


Por: Redação OD

Segundo publicações feitas pela mídia indiana, o Exército Popular de Libertação da China (PLA) está construindo novas instalações militares a cerca de 5 Km da fronteira entre a China e o Butão. Estas novas construções incluem depósitos para armas assim como nove edifícios de três andares, que podem ser utilizados como quartel general e dormitórios. Na região ainda encontram-se 300 veículos dos mais variados tipos. O PLA começou a aumentar suas forças militares na região de Doklam, onde há alguns meses ocorreu uma disputa de 10 semanas entre estes países. 

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Israel Aerospace Industries assina contrato com a Dynamatic Technologies e a Elcom Systems para sistemas VANT na Índia


Por: Redação OD

A Israel Aerospace Industries Ltd. (IAI), Dynamatic Technologies Ltd (DTL) e Elcom Systems Private Limited anunciaram sua colaboração para cuidar conjuntamente das necessidades do mercado de VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado) da Índia. O anúncio se seguiu à assinatura de um contrato de parceria entre as empresas para a produção, montagem e suporte a VANTs na Índia, o qual foi firmado durante a visita do Primeiro Ministro indiano Narendra Modi a Israel.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

IAI expande joint venture com o grupo indiano Kalyani e construirá centro de manutenção para sistemas avançados de defesa aérea


Por: Redação OD

Executivos da Israel Aerospace Industries (IAI) e da Kalyani Strategic Systems (KSSL) — a divisão de defesa do Kalyani Group — assinaram um memorando de entendimento com o objetivo de expandir a joint venture que as empresas estão estabelecendo. O novo memorando prevê a criação de um centro de manutenção para seletos sistemas avançados de defesa aérea em Hyderabad, estado de Telengana na Índia.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

França vende 30 células de aviões "Jaguar" para a Índia



Por: Redação OD

O governo da França está em fase final de negociação com a Índia a venda de um lote de 30 células completas de aviões "Jaguar", inicialmente para a utilização em reposição de peças e treinamento de mecânicos. A Armée de l'Air desativou seus últimos aviões de ataque/caça "Jaguar" em 2005, e, por motivos de restrições orcamentárias decidiu não estender a vida operacional dessas aeronaves, que na Índia, ainda são mantidas operacionais e com planos para voar por pelo menos mais 10 ou 15 anos. Na Índia, todos os aviões Jaguar estão sendo modernizados pela Hindustan Aeronautic Limited (HAL) e estão recebendo modernos sistemas eletrônicos de comando de vôo e sistemas de miras mais modernos que os dos modelos operados pela França e Grã-Bretanha enquanto operacionais e inclusive uma gama de sistemas mais modernos de armas e de controles de vôos elétricos, entre outros.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Ministério da Defesa da Índia desmente que irá cancelar acordo sobre à compra dos Scorpène com a França


Por: Redação OD

Com o vazamento dos dados técnicos sobre os submarinos franceses da classe Scorpène deu-se uma abertura, para que empresa russo-indiana se começa a negociar com a índia a construção de seis novos submarinos nucleares. A Índia também já se tinha mostrado um interesse, em alugar submarinos da classe Akula. O MoD Indiano negou as informações publicadas pela agência Reuters, do último sábado, dia 03/09, dando conta que o governo indiano encomendou mais três submarinos da classe Scorpène junto à empresa francesa DCNS. 

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Rússia e Índia preparam três exercícios militares em larga escala para 2016




Por Redação OD
Rússia e Índia vão realizar ao longo deste ano mais três exercícios militares conjuntos em que tomarão parte as marinhas, as tropas terrestres e as forças aéreas dos dois países, segundo informa a RIA Novosti. O respectivo acordo foi assinado por ambas as partes na cidade russa de Vladivostok. Os detalhes serão discutidos durante o mês de maio, de acordo com o serviço de imprensa do Distrito Militar do Leste da Rússia. Na referida reunião, foram abordados temas como a transferência de tropas e material bélico às zonas das operações, a logística das manobras, a escolha dos locais para os exercícios e a composição das tropas envolvidas de ambos os lados.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

França muito perto de fechar o acordo da venda de 36 caças Dassaul Rafale para a Índia



Por redação OD

Os Governos da Índia e da França estão perto de finalizar o negócio para a compra/venda de 36 aviões de caça Dassault Rafale. Os dois lados têm estado em conversações desde junho de 2015, quando o governo de Nova Deli anunciou a aquisição, logo após cancelarem a compra de 126 aeronaves. Os dois lados estão discutindo na forma de chegarem a um denominador comum sobre a diferença do preço. Narendra Modi, o primeiro-ministro indiano, teve uma posição firme durante as negociações. Além de questões de preços, os dois lados têm discutido os referentes a integração de armas específicas e de um capacete israelense entre outros itens.