Mostrando postagens com marcador Armamentos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Armamentos. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 4 de julho de 2018

França desponta como maior fornecedor de armamentos e afins, a países do Oriente Médio


Por: Redação OD

A França, em comparação do ano frical de 2017 com o de 2016, dobrou à venda de armamentos e afins a países do Oriente Médio, revela um relatório do governo. Enquanto isso, o presidente Emmanuel Macron tentar lidar com a pressão de deputados e grupos de direitos humanos para conter o fluxo de armas nesta região. O país hoje, está entre os principais exportadores de armas do mundo, suas vendas vem crescendo nos últimos anos graças aos seus primeiros contratos de venda do caça Rafale, principalmente à Índia e ao Qatar, além de um acordo de venda de submarinos à Austrália, de vários bilhões de Euros. O governo de Macron, busca aumentar seu peso diplomático no Oriente Médio através da venda de navios, blindados, artilharia e munições para os Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e Egito.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Matéria da revista National Interest revela capacidades de combate do porta-aviões USS Gerald Ford


Por: Redação OD

Em sua última edição, a revista National Interest, traz uma matéria onde a qual revela importantes detalhes sobre os armamentos e as capacidades de combate do novo porta-aviões USS Gerald Ford (CVN-78). De acordo com a revista, uma das principais vantagens do USS Gerald Ford em comparação aos porta-aviões da classe Nimitz, será os dois reatores nucleares AB1, que juntos serão capazes de gerar 600 МВт de energia, sendo esta quantidade suficiente para assegurar o abastecimento de eletricidade de uma cidade inteira. Os potentes reatores tornaram possível instalação da catapulta eletromagnética EMALS e do cabo de desaceleração AAG, que são mais leves e exigem menos espaço, bem como asseguram decolagem e aterrissagem mais rápidas em comparação aos antigos, segundo a matéria.

sábado, 9 de junho de 2018

Chega a Ucrânia 4 aeronaves КС-135 Stratotanker para utilização no reabastecimento de bombardeiros estratégicos


Por: Redação OD

A Força Aérea dos EUA  enviaram à Ucrânia quatro aviões КС-135 Stratotanker para utilizar no reabastecimento de bombardeiros estratégicos, os aviões de reabastecimento foram transferidos para a cidade de Lvov das bases aéreas RAF Mildenhall (Reino Unido), McConnell AFB (Kansas, EUA), Beale AFB (Califórnia, EUA) e da base da Guarda Nacional dos EUA em Illinois. Junto com eles chegaram cerca de 150 tripulantes e pessoal de apoio, informa o portal Obozrevatel. Segundo nota da assessoria de imprensa da Força Aérea dos EUA na Europa e África, seu objetivo é o aumento da segurança dos aliados dos EUA na Europa de Leste e do nível de cooperação militar entre os membros da OTAN e os parceiros da aliança.

segunda-feira, 5 de março de 2018

Na ânsia de tornar-se uma super potência, China aumentará seu orçamento militar ficando atrás apenas dos EUA


Por: Redação OD
A China vai acelerar a expansão de seu orçamento militar em 2018, segundo anunciou Pequim no início do grande encontro do regime comunista, que poderá permitir ao presidente Xi Jinping permanecer no poder pelo tempo que quiser. Xi, que prometeu a seus compatriotas um exército de "nível mundial" em 2050,conseguirá, na sessão plenária anual do Parlamento, iniciada nesta segunda-feira (5), debater a limitação de dois mandatos presidenciais - o que poderia mantê-lo no poder após 2023. O orçamento militar chinês, o segundo maior do mundo, atrás apenas do Estados Unidos, aumentará 8,1%, mais que no ano anterior (+7%), para modernizar as forças armadas, como anunciado pelo primeiro-ministro, Li Keqiang.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Embraer ganha espaço em vendas militares no mundo, mas avisa que subsídios dão benefícios ilegais aos rivais


Por: Redação OD

Segundo resultados revelados pelo ranking internacional das maiores empresas do setor militar no mundo a Empresa Brasileira de Aeronáutica (EMBRAER S/A), subiu 10 posições no ranking atingindo assim a 81ª colocação. Estes dados foram publicados nesta segunda-feira (11) pelo Instituto de Estocolmo para a Pesquisa sobre a Paz (SIPRI, em inglês), e de acordo com a entidade, a pesquisa serve como referência internacional, as vendas de armas no mundo, tendo registrados em 2016 a sua primeira alta desde 2010. No caso do Brasil, o comércio registrou uma alta bem superior à média mundial, com 10,8% de expansão em 2016.