Mostrando postagens com marcador Ameaça. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Ameaça. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 26 de junho de 2018

Austrália investe em drones não tripulados para ajudar na vigilância sobre o Mar do Sul da China

A Austrália irá investir U$S 6 bilhões para a adquisição de seis Northrop Grumman MQ-4C Triton como parte de suas operações de vigilância
Por: Redação OD

Frente a crescente “expansão” chinesa pelo tão disputado Mar do Sul da China, a Austrália está gastando grandes cifras de dinheiro em aeronaves não tripuladas, já que as mesmas podem voar mais alto e mais longe que as suas tripuladas, e assim auxiliam nas operações de vigilância sobre as áreas sensíveis. Recentemente, o primeiro-ministro Australiano Malcolm Turnbull, revelou que seu governo irá investir U$S 6 bilhões para à adquisição de seis unidades do Drone MQ-4C Triton, da empresa Northrop Grumman, "por meio do programa de vendas militares estrangeiras (Foreign Military Sales - FMS) com a Marinha dos Estados Unidos".

domingo, 22 de abril de 2018

Grupo Naval de ataque dos EUA poderá permanecer no mar Mediterrâneo para "conter" à Russia


Por: Redação OD

De acordo com o site especializado em defesa, Defense News, autoridades norte-americanas ainda não tomaram uma decisão definitiva quanto ao assunto, mas contudo, a continuação da missão seria uma "resposta às ações da Rússia na região e corresponderia à nova estratégia da segurança nacional". O porta-aviões norte-americano USS Harry S. Truman (CVN-75) pode permanecer no mar Mediterrâneo para "contenção" da Russia, comunicou neste sábado (21) o site , citando suas fontes.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Ameaças crescentes: mísseis balísticos da Coreia do Norte têm cada vez maior precisão

Por: Redação OD
A Coreia do Norte conseguiu aumentar a precisão dos seus mísseis balísticos com alcance até 1,3 mil quilômetros, conforme relato da agência Yonhap citando uma fonte no governo da Coreia do Sul. A fonte acrescentou que os três mísseis balísticos testados no dia 5 de setembro alcançaram a zona de defesa aérea do Japão, tendo percorrido cerca de mil quilômetros e caído no mar em uma zona com um raio de um quilômetro. Assim, o possível desvio dos mísseis da classe Nodon segundo a classificação ocidental foi inferior ao limite de 2-4 quilômetros.