sábado, 18 de agosto de 2018

Cephalopoda: O drone submarino Russo que será o futuro caçador de submarinos


Por: J.G Araújo

A Rússia está trabalhando em um novo drone subaquático armado, projetado para destruir submarinos inimigos. O drone Cefalópode não tripulado leva como armamento torpedos pequenos e leves capazes de ferir fatalmente submarinos inimigos no campo de batalha submerso de alta pressão. De acordo com o especialista em guerra submarina HI Sutton, este drone da Rússia também chamado de “drone submarino assassino” desde 2015, quando sua existência foi revelada ao lado do torpedo do nuclear Poseidon. O cefalópode foi compreensivelmente ofuscado pela descoberta da arma submarina de 100 megatons, mas à sua maneira é uma ameaça ao poderio militar ocidental.

Nós conhecemos o programa Cefalópodes desde 2015, mas até recentemente não sabíamos muito sobre isso,“ Sutton, a autoridade por trás do blog de submarinos Covert Shores e do World Submarine Recognition Guide, disse. “Lentamente, está surgindo uma imagem mais clara de que o cefalópode é um drone submarino desenvolvido para matar o submarino.” É muito grande para um veículo submarino não tripulado, provavelmente maior do que o veículo submarino não tripulado de deslocamento grande da Marinha dos EUA (LDUUV). Tem uma única hélice de pás curvadas, chamada de parafuso, que é muito semelhante àquelas usadas em submarinos de tamanho normal. Isso sugere que o cefalópode é projetado para jornada longa e furtiva ( stealth ao sonar passivo e ativo), em vez de manobrabilidade. 

Mas ele tem propulsores que podem permitir que ele tenha também performance. Outros drones submarinos russos usam vários pequenos propulsores dispostos para oferecer excelente manobrabilidade ”. O cefalópode é armado com torpedos leves MTT de 324 mm, torpedos leves como o MTT são tipicamente torpedos anti-submarinos, transportados por submarinos de superfície e helicópteros. Torpedos leves têm ogivas menores (para perfurar o casco pressurizado de submarinos) e um alcance menor. A frota submarina da Rússia está envelhecendo mais rápido do que pode ser substituída, e um drone de baixo custo e alta produção como o Cephalopoda poderia assumir missões geralmente atribuídas a submarinos tripulados. 

Um possível papel do Cefalópode é escoltar os submarinos de mísseis balísticos da Rússia, protegendo-os dos submarinos de ataque ocidentais. O cefalópode também pode proteger as instalações e portos navais ou operar em águas restritas, como o Mar Báltico. Veículos submarinos não tripulados estão transformando a guerra naval. Nós não sabemos se os russos já estão construindo cefalópodes, mas de qualquer forma isso mostra o que eles pensam. Com seus torpedos e seu grande sonar, fica claro que o Cephalopoda tem a intenção de desempenhar um papel ativo na batalha ”, disse Sutton. "Ele poderia ter como alvo o transporte marítimo, mas seus pequenos torpedos são mais uma ameaça aos submarinos."

Minhas Considerações....

Os EUA estão enfrentando um monstro de duas cabeças que eles mesmo fabricaram. Por um lado, temos os chineses que estão construindo quase uma força espelho a dos EUA, que por hora ainda é maior. Eles estão procurando os encontrar em uma luta direta usando táticas e tecnologias que os próprios EUA desenvolveram, e agora vem sendo empregadas para os destruir. Por outro lado, temos os russos que vêem mais de duas dúzias de nações alinhadas contra eles e decidem construir uma força defensiva, que também pode ser capaz de vencer os EUA de maneira assimétrica.

Nós (inclusive eu) nos deslumbramos com os novos conceitos de blindados que eles desenvolveram. Em algum ponto no tempo, os russos decidiram abandonar a tentativa de igualar / superar as capacidades americanas e decidiram lutar contra estes de uma forma que maximizasse a sua fraqueza e ao mesmo tempo produzisse efeitos mensuráveis no campo de batalha que os EUA não poderiam se opor em força. Os veículos de combate não tripulados, tanques e aeronaves melhorados, os novos mísseis nucleares, a guerra eletrônica no campo de batalha e a guerra cibernética em nível estratégico, tático e de informação serão as novas chaves do reino.

Eles já têm formidáveis mísseis anti-navio que têm muito mais peso do que qualquer coisa encontrada no Ocidente (lembre-se que eles construíram mísseis que foram projetados para bater e aleijar porta-aviões e claro qualquer coisa menor) de modo que deixa uma duvida a ser respondida. Como eles combatem pretendem combater a força submarina americana com este novo tipo de arma? Eu acho que isso dá pistas sobre o seu pensamento. Mais uma vez, eles não estão vindo diretamente para enfrentar os EUA com submarinos de mergulho mais novos, mais rápidos e mais profundos. Em vez disso, eles estão se concentrando em drones que podem enviar e caçar a força submarina americana com uma fração de custo com igual ou melhor desempenho que a doutrina tradicional. 

Se eles puderem ir fundo o suficiente (e devem), rápido o suficiente (devem) e estarem silenciosos o suficiente (devem estar), então os comandantes da arma submarina americana podem estar enfrentando uma enorme ameaça. Este é um reino onde eu nunca considerei drones para ser úteis em uma guerra submarina, mas considerando os requisitos de suporte de vida de uma tripulação tripulada, torna-se óbvio que o armamento presente se desenvolve com este sentido de emprego. Este poderia ser o futuro da guerra submarina. Não mais caçadores e batedores, mas atacantes invisíveis de baixo custo e alta eficiência.
Postar um comentário