quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

CEO da Boeing, Dennis Muilenburg, diz que acordo com Embraer é estratégico, mas não imprescindível


Por: Redação OD

A fabricante de aeronaves americana Boeing vê um “excelente encaixe estratégico” em uma possível aquisição da Embraer. No entanto, a operação não é essencial para o grupo norte-americano, disse nesta quarta-feira, 21, o presidente executivo da Boeing, Dennis Muilenburg. A empresa não vai arriscar tudo no diálogo com a Embraer, salientando que ainda pode afastar-se do negócio. "Este seria um grande avanço para a nossa estratégia, mas não é imprescindível", afirmou Muilenburg em evento de investidores em Miami, Estados Unidos, organizado pelo Citigroup. "Na realidade estamos trabalhando nisso há muitos anos", disse Muilenburg, descartando informações de que a Boeing está preocupada com o recente acordo entre a rival europeia Airbus e a fabricante canadense Bombardier.


A posição de Muilenburg reforça comentários recentes feitos pelo diretor financeiro da Boeing, Greg Smith, em resposta a questionamentos de analistas e investidores sobre as negociações já confirmadas entre Boeing e Embraer. Entre as alternativas cogitadas pelas duas empresas está a aquisição pela Boeing da unidade de aviões comerciais da Embraer. Essa alternativa seria um modelo de negócio que atenderia uma exigência do governo brasileiro que tem uma ação com poder de veto na companhia brasileira ('golden share'), de preservar sob controle nacional a área de 'Defesa & Segurança'. "Se pudermos chegar a um acordo que agregue valor aos nossos clientes e às nossas empresas, faremos isso", afirmou Muilenburg. 

Ideia da Boeing ao negociar com a brasileira é ganhar força no segmento de aviões de médio porte, de cerca de cem lugares, para voos regionais. Foto: REUTERS/Matt Mills McKnight
"Se não pudermos fazer isso, em nada altera a nossa estratégia. Este é um excelente complemento para a nossa estratégia, mas não é imprescindível." Semana passada, Muilenburg disse em entrevista à rede de TV americana CNBC que as negociações estavam caminhando positivamente, mas que ainda havia questões a serem resolvidas. Ele não detalhou esse comentário. As duas empresas anunciaram negociações para unir suas operações na área comercial. A ideia da Boeing ao negociar com a brasileira é ganhar força no segmento de aviões de médio porte, de cerca de cem lugares, para voos regionais. As conversas estão em andamento, e nas últimas semanas, se intensificaram com representantes da Boeing vindo ao Brasil negociar diretamente com o governo brasileiro.

*Com Informações de Agências de Notícias Nacionais

Nenhum comentário: