quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Programa de construção dos caças Gripen no Brasil já está em andamento e dentro do cronograma


Por: Redação OD

O contrato assinando entre a empresa sueca Saab e o governo brasileiro para o desenvolvimento e a produção de 36 caças Gripen NG em parceria com a Embraer Defesa & Segurança (EDS), em outubro de 2014, está sendo seguido rigorosamente conforme o planejado e dentro do cronograma previsto. O negócio estimado US$ 4,7 bilhões prevê a entrega de 36 caças para a Força Aérea Brasileira entre os anos de 2019 até 2024. O programa prevê a produção de 28 caças Monoplace (um assento), que serão produzidos na Suécia, e mais oito modelos Biplace (dois lugares), que serão fabricados no Brasil.


Em outubro de 2017, a Saab informou que já estaria selecionando o imóvel em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo, onde ficará a nova unidade industrial que fará aeroestruturas - como cone de cauda, freios aerodinâmicos, asas, fuselagem dianteira - para os caças encomendados pela Força Aérea Brasileira (FAB). Segundo a Saab, o recrutamento de 55 profissionais que atuarão neste local já começou. Já o centro de desenvolvimento do Gripen e a montagem final dos modelos fabricados no Brasil serão localizados em Gavião Peixoto, interior paulista, onde funciona desde novembro de 2016 o Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (GDDN).

Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (GDDN)

O GDDN é o hub de desenvolvimento tecnológico do Gripen no Brasil para a Saab e a Embraer, junto às empresas e instituições parceiras. É lá, que funciona a unidade de Defesa & Segurança da Embraer, onde engenheiros brasileiros e suecos já atuam em conjunto, como parte do programa de transferência de tecnologia entre Saab e Embraer. Esse programa de transferência de tecnologia para o Brasil foi fundamental para a Saab vencer concorrentes, como a Boeing, e ganhar a concorrência do governo brasileiro na encomenda para renovar os caças militares. O programa tem mais de 50 projetos-chave, envolvendo quatro áreas de treinamento teórico; programas de pesquisa e tecnologia; treinamento on-the-job na Suécia; desenvolvimento e produção.

Montagem final do primeiro protótipo do Gripen NG na Suécia, tendo a participação de Engenheiros Brasileiros

Dentro desse processo, até 2024, mais de 350 profissionais brasileiros, entre engenheiros, operadores, técnicos e pilotos das empresas parceiras da Saab e da Força Aérea Brasileira participarão de cursos e treinamento na Suécia. Cerca de 160 engenheiros brasileiros de empresas parceiras já passaram por treinamentos. Segundo a Saab, desde o início do programa, a companhia já entregou "uma transferência substancial de tecnologia para parceiros brasileiros, como Embraer, AEL Sistemas, Akaer e Atech". Foi apurado que a Boeing demonstrou ao governo brasileiro que não deseja ter acesso ao projeto já em curso envolvendo a Saab e a Embraer.

*Com Informações do Jornal Valor Econômico

Nenhum comentário: