segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Militares norte-americanos intensificam treinamentos de combate, visando uma possível guerra contra a Coreia do Norte


Por: Redação OD

Segundo o jornal The New York Times,  militares norte-americanos estão intensificando ainda mais seus treinamentos para estarem preparados, caso haja possíveis combates contra soldados norte-coreanos. Ainda de acordo com o jornal, em dezembro tropas dos EUA, realizaram um excercício o qual simulava um grande desembarque aéreo e contou com quase 50 helicópteros no estado da Carolina do Norte. Paralelo a este exercício, no estado de Nevada cerca de 120 paraquedistas simularam uma invasão a um país estrangeiro realizando saltos noturnos de um avião de transporte militar C-17 Globmaster III.


Também sabe-se que, em fevereiro/2018 mais de 1.000 reservistas irão aos centros de mobilização para realizarem treinamento de deslocamento rápido de forças para o exterior. Nesse mesmo mês, o Departamento de Defesa pretende enviar para a península da Coreia um contingente de tropas de elite. Especula-se que isso possa a vir ser o primeiro passo para formar-se um grupo operativo na Coreia do Sul, semelhante aos que foram criados no Iraque e na Síria, fontes ouvidas indicam que o plano se realizará, supostamente, no âmbito da luta contra o terrorismo. O jornal afirma que a preparação das forças para eventuais emergências é uma prática normal, mas a escala e os prazos das últimas manobras fazem supor que em foco está a preparação dos militares para uma possível guerra com a Coreia do Norte.


Segundo fontes ouvidas pelo jornal, vários funcionários do Pentágono afirmam que os exercícios foram ordenados pelo secretário de Defesa, James Mattis, e respondem à necessidade de preparação para prováveis ações armadas na península da Coreia. Hoje cedo, Pyongyang acusou Washington de tentar impedir a normalização das relações entre as duas Coreias. Em 9 de janeiro, as delegações de Seul e Pyongyang se reuniram pela primeira vez em dois anos na localidade de Panmunjom, na zona desmilitarizada entre os dois países. Os negociadores das duas Coreias chegaram a um acordo para retomar o diálogo e diminuir a tensão. A tensão entre Seul e Pyongyang aumentou consideravelmente nos últimos meses devido às incessantes manobras militares dos Estados Unidos na região e aos testes balísticos da Coreia do Norte.

*Com Informações do Jornal The New York Times e de Agências Internacionais de Notícias
Postar um comentário