sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Passando por cortes drásticos, Royal Navy perde navios importantes para manter a defesa de sua costa


Por: Redação OD

Pela primeira vez na história contemporânea,  a frota de superfície da Royal Navy está sem embarcações capazes de proteger o país, revelou em uma edição recente o periódico The Mirror. Segundo o jornal, todos os seus 6 destróiersestão ancorados no porto de Portsmouth, ao mesmo tempo que 12 das suas 13 fragatas da classe Type-23 estão ancoradas na base naval de Devonport, entretanto só um navio deste tipo está apto para acompanhar a frota que protege as águas da ZEE do Reino Unido. O ex-comandante da Frota britânica, Alan West, afirmou que a defesa de seu país e a Marinha Real estejam "à beira" de um colapso devido a sua "drástica redução de tamanho". 


"A defesa está se diminuindo", afirmou ele, qualificando a política das autoridades britânicas no que se refere à defesa naval como "devastadora". Como resultado, devido ao financiamento inadequado, os marinheiros não contam com treinamentos necessários e os navios carecem de peças de reserva. "Perderemos em breve o HMS Ocean, navio sem precedentes dentro da nossa força naval", avisou West. "Hoje dentro da RN existem dois problemas latentes: financiamento e equipamento militar. Pois se navios saem ao mar já possuidores de vazamentos, então isso significa alguma coisa". enfatizou. Tradicionalmente os britânicos gastam muitos recursos com suas Forças Armadas, incluindo para reforçar a sua Marinha, talvez se recordando de uma época em que o "Reino Unido fora o dono dos mares", precisando, assim, manter sua presença em todos os lugares, com isso faltam recursos para manutenção da frota.


De acordo com fontes ouvidas, o Reino Unido não teria como pagar pela manutenção de suas Forças Armadas para uma prontidão real de combate. "Os países da OTAN, inclusive o Reino Unido, devem aumentar seus recursos destinados ao orçamento da Aliança. Além disso, os britânicos possuem bases navais e aéreas em vários países. O Reino Unido fez parte do programa global do sistema antiaéreo estadunidense, fornece equipamento de radar, e aluga um sistema de defesa Fylingdales, tudo isso exige enormes recursos. Além disso, o país participa de vários conflitos regionais (…) que na opinião dos especialistas internacionais, caso as autoridades britânicas não reduzam as verbas militares, destinadas a OTAN e para a manutenção de quatro submarinos nuclear, os problemas financeiros de manutenção técnica vão surgir constantemente".

*Com Informações de Agências Internacionais de Notícias
Postar um comentário