quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Marinha do Brasil: NPaOc Araguari chega a maceió e será aberto a visitação a partir desta sexta-feira dia 15


Por: Redação OD

O Navio Patrulha Oceânico (NPaOc) P 122 Araguari, da Marinha Brasileira, atracou no porto de Maceió nesta última quarta-feira (13). A embarcação estará aberta à visitação pública da próxima sexta-feira (15) até o domingo (17). Nesta quinta, a embarcação zarpa do Porto de Maceió para inspecionar a costa alagoana, observando se alguma embarcação navega de forma irregular. "Além da fiscalização rotineira, também salvaguardamos a vida nas águas jurisdicionais brasileiras, prestando auxílio a quem pedir ajuda", explicou o capitão de corveta Ondiara Barbosa.


Há 23 anos na Marinha brasileira, o Cmte Ondiara  relatou que o navio-patrulha oceânico Araguari tem como base o 3º Distrito Naval (3DN), em Natal (RN), de onde se desloca para missões pelo litoral nordestino, quando necessário. "Nesta quinta-feira, vamos fiscalizar embarcações que estejam navegando pelo litoral alagoano", comentou o militar, referindo-se à missão que será posta em prática pelos 81 tripulantes da embarcação, dos quais 12 são oficiais e 69 militares em início de carreira. Com 90,5 metros de comprimento, o navio pode navegar com velocidade máxima de até 25 nós. Tem autonomia para até 30 dias de navegação sem que precise ser reabastecido. 


De acordo com a Marinha, sua capacidade de atender a operações afastadas de sua base, tais como busca e resgate, patrulha, combates a ilícitos transnacionais e auxílio a desastres, é resultado da interação de sua grande autonomia, capacidade de realizar operações aéreas com aeronaves de médio porte e da operação duas ou mais lanchas rápidas. "Se necessário, temos condições de transportar até seis contêineres com algum tipo de mercadoria, além de um helicóptero", enfatizou o Cmte Ondiara Barbosa. A embarcação foi construída na Inglaterra e, após completa reforma, vendida à Marinha Brasileira em 2013.




*Com Informações da Gazetaweb.com de Maceió, Fotos: Ricardo Lêdo

Nenhum comentário: